Xadrez e Futebol: a palavra ou o papel, a inteligência ou a pseudo esperteza (burrice travestida)


Futebol…

A imprensa se alimentou, e aparentemente, o Empresário também, de todo este jogo de negociação do caso Ronaldinho voltar para o Brasil; ou devíamos dizer uma nova modalidade de leilão.

Conforme o presidente do Grêmio foi um namoro com um possível noivado já celebrado em 19 de dezembro. Torcida de seu clube do coração e de origem, revoltados e enojados. Presidente do Grêmio e Palmeiras, até certo ponto, mais do que frustrados, pois, contratos foram redigidos como se seriam assinados, porém, eles não forma avisados que era de um leilão que eles participavam; isso foi o pior. Jogador queimado no meio futebolístico, empresário que perde toda credibilidade de qualquer situação.

Se o Ronaldinho tiver sorte, ele não enfrentará o Grêmio nem mesmo fará um gol, pois, é será corte definitivo para nunca mais voltar ao seu clube do coração.

Xadrez…

EM 2010 algo semelhante aconteceu em Alice no País da Maravilhas e agora foi dado o Oscar lá nos EUA.

Xadrez – Mate de Bispo e Cavalo


Resolvi começar por onde muitos tem problemas, ou seja, pelo mais dificíl.

O dificíl é relativo, pois, torna-se dificíl em função de que acaba ocorrendo ao final de duas, quatro ou seis horas de jogo, quando então estamos cansados e ainda podemos estar nervosos com o relógio (se for nocaute) ou com fatores externos.

Aqui poderíamos seguir a máxima do futebol com relação ao pênalti: é tão importante que o Presidente do Clube deveria bater (Antonio Franco de Oliveira – Botafogo), e tranferindo-se para o xadrez, devia ser o técnico!! Mas aí esta o problema, já vi técnico/professor não conseguir, presidente de federação, jogador com nível de mestre não fazê-lo.

A questão é fazê-lo de forma perfeita sempre no treinamento, ou seja, não errar uma lance, pois assim, quando estiver sob pressão, seja ela qual for, desde Steven Seagal ao Chuck Norris, você terá uma margem de erro que o não colocará na infeliz lista dos que não deram mate de bispo e cavalo quando precisaram.

Caso real: em 2007 resolvi fazer uma geral em finais com meus alunos e descobrir quem estava treinando e saberia fazê-lo; triste noticia…mas o ponto não é esse, mas o convite que fiz a uma grande amigo e colega de equipe; VENHA TREINAR, pois, tu não sabe quando vai precisar. Ele não veio e quando foi dezembro, precisou na segunda rodada de uma final do estadual fazê-lo; não conseguiu (e foi contra o jogador que veio a ser Campeão estadual naquele ano). RESUMO: não espere acontecer, imagine que isso esta prestes a acontecer no próximo torneio que você jogar!

Para não falar só em ver desilusões de fortes jogadores que não obtiveram êxito, vou contar de menino que em um Campeonato Brasileiro Sub 12, o fez como se estivesse jogando o jogo da velha; já sabia o que iria acontecer, foi pura moleza e ele demonstrou isso com as jogadas e sua tranquilidade.

Costumo dizer que esta dividido em 3 partes: cercar e levar até a borda, levar para o “canto errado” e começar a fazer o “W” com cavalo levando o rei para o canto que o bispo dará o mate. Não pense quais são as jogadas que devem ser feitas, mas sim no esquema que deve ser executado. Outra coisa, NUNCA ESQUEÇA de que tem uma variação em que parece que o rei vai escapar e você deverá permiti-lo, serão -duas linhas(coluna ou horizontal); em direção ao centro.

Logo abaixo tem a sequência e uma variação, sendo a linha principal a mais longa e resolvi chamar atenção a posições que devem ser lembradas como “chave”, importantes.

CLIQUE PARA AMPLIAR
CLIQUE PARA AMPLIAR