Arquivo da categoria: Crônicas de Xadrez

Teria sido Bobby Fischer ??


Bobby Fischer played Fischer Random with Susan Polgar
Bobby Fischer jogando com Susan Polgar o “Random Chess”.

255px-Bobby_Fischer_cropped

“No final dos anos 1990 surgiu no ICC (Internet Chess Club) um jogador anônimo que superou muitos dos melhores jogadores do mundo em jogos relâmpago de 3 minutos, e rapidamente se disseminaram os boatos de que este jogador poderia ser Bobby Fischer. Nada ficou comprovado e até hoje não se sabe quem foi este jogador, mas um episódio envolvendo o vice-campeão mundial Nigel Short foi bastante marcante. Short havia sido informado sobre estas “aparições”, mas não as levava a sério, até que em certa ocasião foi convidado por um guest para uma partida. Ele aceitou e o guest começou a jogar lances exóticos e passear com o Rei pela frente dos Peões logo nos primeiros lances. Porém, repentinamente, depois de intencionalmente ter degradado muito a própria posição, o guest passou a jogar lances fortíssimos e o venceu. Jogaram várias outras partidas, e em todas elas o guest passeava com o Rei, deteriorava a própria posição, e depois começava a jogar ‘para valer’ e vencia. Ao relatar o episódio, Short apresenta vários motivos para ter concluído que de fato foi Fischer quem o venceu daquela maneira. Short comentou que há alguns meses ele havia empatado em 12×12 um match relâmpago contra Kasparov, portanto não havia muitas pessoas no mundo que pudessem vencê-lo por 7×0 ou algo assim, sobretudo iniciando o jogo com handcap de roque e vários lances a mais, aliás, provavelmente só uma pessoa poderia ter feito isso: Bobby Fischer.”

I – Histórias de Xadrez e um pouco mais…Pedro e a Multiplicação dos Cavalos!


 O Pedro é uma destas figuras singulares que você encontra vez ou outra no decorrer da vida. Estudante de engenharia, não se sabe a quantos anos e que não tinha previsão da formatura.

Durante muito tempo o Departamento de Xadrez do Clube Comercial o teve como assíduo frequentador –quando eu mesmo ainda não sabia o que era xadrez. Mais tarde, com certa regularidade pude desfrutar da sua presença, jogávamos algumas partidas e assistíamos outras. Depois ele sumia, para de tempos em tempos, aparecer novamente.

O “Seu Davi” merece com certeza um capítulo á parte e que, certamente, nos reportaremos a Ele várias vezes.

Uma das características do Pedro era “sacanear” e/ou tirar sarro com o pessoal, mas com “Seu Davi” ele o fazia com muito respeito e extrema técnica.

Em meio a outros tabuleiros e peças dispostas lado a lado na pequena, mas confortável Sala de Xadrez*, jogavam Pedro com “Seu Davi”.

A situação do Pedro já não era boa mesmo; e por quê não tentar um lance (s) especial? Discretamente, se isso for possível, o Pedro coloca um cavalo com o cotovelo esquerdo para dentro do tabuleiro. “Seu Davi” é inteira concentração naquilo vê –nós vemos aquilo que queremos ver, e em especial no xadrez, isso pode ser terrível! Ele não percebe o que aconteceu. Logo, Pedro move o cavalo e repete o movimento do cotovelo, até então desconhecido no mundo enxadrístico e o tabuleiro já apresenta então quatro cavalos da mesma cor! “Seu Davi” continua sua análise e começa se coçar demais não esboçando motivo aparente, mas parece injuriado de não conseguir ataque numa partida que parecia ir tão bem.

Pedro joga pesado: lance do cotovelo pela terceira vez e o “Seu Davi” não aguentando mais grita: MEU DEUS, MAS COMO ESTES TEUS CAVALOS TÃO JOGANDO!! E a partida continuou por mais alguns lances… para então contarmos porque a partida tinha mudado tão drasticamente de rumo.

Clube Comercial 1992 - Sperb-Ughi Cartana -Eduardo Muller. -Clique para ampliar.

    *A Sala de Xadrez funcionava no Clube Comercial de Santa Maria (RS) e comportava confortavelmente dez mesas acompanhadas por conjunto de peças personalizado quando da Fundação do Clube de Xadrez do município, um armário aéreo  para peças, relógios e acessórios e ainda a Sala era a prova de som e tinha ar-condicionado. Ao lado uma foto escaneada ainda hoje. Pelo meu cabelo deve ser 1992 quando estava no NPOR.

Xadrez e informática usando o linux


Clique para ampliar.

 

Aulas de xadrez na Escola Básica Municipal Coronel Osny Vasconcellos.

Esta escola é que tem o Projeto Xadrez Escolar a mais tempo em São Bento o Sul, desde de 2003 de forma ininterrupta. Atualmente, e nos últimos três anos, é escola municipal número um no IDEB.

Com certeza o xadrez tem contribuído e muito nisso; a propósito, as turmas que fizeram a prova brasil fizeram xadrez por pelo menos 4 anos ou, em alguns casos especificos, 3, 2 e 1 ano.

Em breve trarei dados concretos de outra escola no tocante a desempenho na provinha brasil!

Tática na Defesa Grunfeld –


Mais do que preparação, uma linha como esta apresentada, que só pelo fato de existir é porque alguém já jogou ou vai jogar, seja no impeto de entender que vai se dar bem ou por jogar rápido mesmo.

No final da estória, o fato é que aí esta e pode acontecer com você!

O xequinho "sem propósito", apenas o começo...

No final darei a sequência completa e linear dos lances.

E brancas já "tão se achando"...

Nestes casos a beleza estética das jogadas e a posição a que se chega trazem o xadrez  categoria de “arte”, coisa que passa de forma imperceptível aos leigos,mas nunca, sobretudo ao iniciados!

As brancas se acharam!
Clique para ampliar.