Brusque – Jogos Abertos de Santa Catarina – As coisas boas a serem ressaltadas


Tive a felicidade de estar em mais uma edição dos Jogos Abertos, infelizmente sem jogar, mas arbitrando, coisa que também me deixou feliz, pois, participei dos 50 Anos dos JASC. A única infelicidade foi não estar presente antes, durante e depois do Congresso Técnico.

Algumas passagens devem ser ressaltadas nestes jogos: a INCLUSAO! A Profissional de Educação Física e Técnica de Xadrez de Concórdia trouxe sua equipe de PARAJASC de DAs (Deficiente Auditivas) para jogar no feminino, já no absoluto o Profissional de Educação Física e Técnico de Xadrez Marco Aurélio Zaror trouxe seu atleta DV (Deficiente Visual) para atuar na equipe de Lages, e por Pomerode a participação de um DF (Deficiente Físico) de Blumenau, aluno do Professor Renan Levi da Costa. Mais do que apenas participar, esta turma veio do PARAJASC e pontuou no JASC, com grande destaque para a partida da última rodada quando Cleverson conquistou um empate diante de um jogador de xadrez ranqueado internacionalmente e candidato a mestre (Pomerode x Joinville).

O local do evento ficava a 6 km do centro, com uma distancia considerada muito boa para qualquer um que tenha a mínima noção de organização de eventos; sem contar tudo o que estava a sua volta: casa lotérica, posto de gasolina, mini-mercado, farmácia, padaria, ponto de venda de créditos para celular e até igreja para os pecadores se confessarem. O salão possuía uma excelente iluminação e era amplo o suficiente para acomodar o dobro de jogadores que participaram e com banheiro exclusivo para os enxadristas, já que no piso inferior ficavam mesas e banheiros a disposição de quem terminasse os jogos, bem como, um serviço completo de bar disponibilizado desde o inicio da rodada (15h) em todos os dias. Deixo meu agradecimento e os parabéns ao Professor de Educação Física Linezio que tão bem recebeu a todos e assessorou a Equipe de Arbitragem o tempo todo em tudo.

Na ultima rodada, vários empates, em especial nas duas primeiras mesas. Tudo normal e dentro das regras do xadrez, sedo feito corretamente; uma constatação que não se pode deixar de fazer: a necessidade da aplicação do mesmo regulamento da OLESC para JASC e até Joguinhos, onde, a vitória traz a equipe vencedora três pontos de bônus (Match-point)! O incremento seria significativamente alto na parte competitiva e de emoção, já que os empates acordados seriam difíceis de compensar visto o bônus de três pontos que uma vitória traria as equipes envolvidas nas disputas noutras mesas.

Tive a chance de conversar no final com vários enxadristas e algo veio a tona: o tempo de reflexão de seis horas não é garantia de melhores partidas, pois, após quatro horas e meia de jogo ou mais, o cansaço vem acompanhado de erros, muitas vezes, básicos. A combinação perfeita para isso seria não só a alteração do tempo, mas implementar o uso do relógio digital com acréscimo de  tempo. A programação deveria se manter a mesma, visto que, modalidades como futsal com 40 minutos cronometrados tem mais tempo de descanso entre uma partida e outra que o xadrez que tem duração de 900% a mais que o futsal. Também é bom lembrar-se da inclusão da provas individuais de xadrez Blitz e Rápido, como já acontece na OLESC e fazia parte do planejamento ser inserido nos Joguinhos Abertos de 2009.

 O próximo compromisso será OLESC em Tubarão!

Embora Galileu já tenha provado que é a terra que gira em torno do sol, uma vez ou outra, encontramos quem entenda o umbigo como o próprio sol. A diferença dos dias atuais para a época em que viveu (1600), é a inexistência hoje da Santa Inquisição e o alto grau de instrução das pessoas, suficiente para tirarem suas próprias conclusões e enxergarem os pseudo-inquisidores que tropeçam nas próprias palavras e em contradições; mas principalmente na falta de um comportamento que sirva de modelo ou exemplo... nesta galáxia pelo menos.

Jogos Escolares Brasileiros em Fortaleza – Bronze


Carine Kátia Campestrini representa nossa Santa Catarina, São Bento do Sul, Escola Ensino Básica São Bento e a Associação de Xadrez de São Bento do Sul.

Após 4 rodadas, ela esta decidiu o título com a enxadrista de Pernambuco. Ambas tinham 100% de aproveitamento, quatro vitória em 4 partidas, conforme a única informação obtida no site do COB, a partida foi decidida no último minuto com xeque-mate.

As Em 2009 tivemos no masculino Bruno Wendorff Lucci em oitavo lugar nos JESC de 12 a 14 anos com 3 vitórias e Bruna Caroline de Oliveira em quarto lugar no JESC de 15 a 17 anos com 4 vitórias.

Parabéns a nossa Campeã Catarinense.

Para colocarmos fotos aguardaremos seu retorno.

Educação, cultura, esporte e saúde!