II Circuito de Xadrez Blitz Colégio Froebel – Premiação em Detalhes


Premiação em detalhes. Os três primeiros colocados no Absoluto, ao final das dez etapas, escolhem o modelo de sua preferência, primeiro o campeão, depois o vice e o terceiro aguarda.
Anúncios

Crônica – “compartilhando a leitura de um tema atual”


O fio do bigode

 

A maior herança que nós pais podemos deixar para nossos filhos e netos não são as coisas materiais, passageiras e terrenas. O que realmente importa, e que ninguém pode nos tirar, independentemente de crise econômica e enchentes é a educação e a formação do ser humano.

Tudo que ensinamos, desde a educação primária até a superior, não pode ser roubado de ninguém.

Queres deixar um presente para alguém para a vida toda. Não compre carro ou apartamentos, dê educação da melhor qualidade, pois, com ela, seus filhos poderão adquirir os bens materiais que desejarem por conta própria, seguirão o caminho traçado por eles mesmos, mas com uma bagagem invejável.

Outro bem que podemos deixar é a formação como ser humano. As crianças tentam imitar os pais, apesar dos nossos defeitos. Acredito que um dos bens mais valiosos que o ser humano pode ter é a sua palavra e o seu nome.

A expressão “fio do bigode” surgiu há muito tempo e consistia em garantir a palavra com um fio do próprio bigode.

A palavra bigode é de origem incerta, mas pode ter vindo de uma antiga expressão alemã pronunciada em juramentos: “bi gott”, ou seja: “por Deus”.

Um fio de bigode vale mais do que qualquer contrato escrito, palavra dada é palavra de honra, palavra de cavalheiro.

Um grande exemplo brasileiro foi Visconde de Mauá, que se tornou o homem mais rico do Brasil de sua época. Como era liberal, abolicionista e contra a Guerra do Paraguai, foi vítima de perseguição política pelo Império e faliu.

Ao invés de deixar os credores na mão, vendeu todos seus bens, pagou a todos, limpou seu nome e recomeçou, com a cabeça erguida.

No mundo atual, vemos que a lei que impera não é a do fio do bigode, mas a lei de Gerson: “O mais importante é levar vantagem em tudo, certo?”

Num país repleto de escândalos, ao invés de “vou-me embora pra Pasárgada”, como nosso saudoso Manuel Bandeira escreveu, podemos ensinar a nossas crianças o valor da ética e moral, demonstrando com nossos exemplos o que é correto; criando um novo país, berço de nossos netos.

HUMBERTO THORMANN BEZ BATTI | Cirurgião plástico e mestre em saúde e meio ambiente

Participantes de São Bento do Sul (24) – 16 Jogaram pela primeira vez


Gostaria de neste espaço levar a conhecimento o que muitos não sabem, nosso grupo é estremamente heterogêneo, e ainda tem grande força no estado com equipes para eventos Fesporte, fazendo-se assim também um trabalho social. A colocação é pertinente, pois, muitos participam e formam equipes com grupos centralizados de escolas particulares menores e que dispõe de melhores recursos; o que não tira o mérito de seus resultados, pois, isto é apenas a constatação da diversidade dos trabalhos desenvolvidos.

Educação, cultura, esporte e saúde!